22/06/2021

Concremat Ambiental conclui monitoramento da qualidade das águas subterrâneas em 5 centrais de resíduos da Petrobras no RN

A equipe da Concremat Ambiental conclui, no mês de abril, o serviço de monitoramento ambiental da qualidade das águas subterrâneas em cinco centrais de resíduos da Petrobras no Rio Grande do Norte. Estas centrais eram utilizadas para gerenciamento de resíduos produzidos pela atividade do petróleo e se encontram atualmente em descomissionamento. O IDEMA – órgão ambiental do Estado do Rio Grande do Norte – solicitou a realização de campanhas de monitoramento da qualidade das águas subterrâneas após a cessão das atividades das mesmas.

O monitoramento ambiental é um estudo realizado na área de interesse, portanto, os trabalhos técnicos de campo envolvem a coleta de amostras de água subterrânea de toda a rede de poços de monitoramento existentes no local. “O objetivo da instalação de poços de monitoramento é proporcionar condições para amostragem de água subterrânea para análise química e física, podendo-se, assim, definir a concentração de contaminantes presentes naquele local. A partir dos resultados das concentrações dos parâmetros estabelecidos em norma, os valores são comparados com os limites de intervenção determinados pelos órgãos ambientais, possibilitando constatar a presença ou ausência de contaminação na área de estudo, de acordo com os valores de referência”, explica o analista ambiental Andrievisk Gaudencio.

Para o estudo realizado, a equipe da Concremat Ambiental executou o planejamento baseado no histórico de informações existentes e através do conhecimento da posição dos poços de monitoramento na área das antigas centrais de resíduos. Assim, foi determinado como seriam realizadas as campanhas de amostragem.

“Análise dos projetos dos poços de monitoramento, instalação e manutenção dos poços, escolha dos equipamentos de purga e amostragem, preparação técnica da equipe, preservação das amostras, armazenamento e transporte, documentação dos procedimentos adotados e documentação das atividades de campo são alguns dos fatores que podem afetar a qualidade das amostras coletadas e execução do serviço”, explica o engenheiro ambiental Marco Antonio Andrade.

A coleta de água nos poços de monitoramento foi realizada pelo método de baixa vazão, que utiliza uma bomba de vazão controlável, causando o rebaixamento mínimo do nível d’água no interior dos poços amostrados, de acordo com a vazão de recuperação dos mesmos. Desta forma, há uma maior preservação das condições naturais da amostra representativa do aquífero, com baixa volatilização dos contaminantes e sólidos em suspensão.

A Concremat Ambiental realizou, nos anos de 2019 e 2020, o monitoramento ambiental dessas áreas, entregando os relatórios finais no início de 2021, com o objetivo de analisar a qualidade da água subterrânea coletada nos poços de monitoramento instalados em pontos distintos das antigas centrais de resíduos da Petrobras, bem como comparar os resultados das análises químicas realizadas com os parâmetros e padrões de qualidade estabelecidos pela CONAMA 396/2008, além de analisar os resultados de TPH (total petroleum hydrocarbons), considerando os padrões de qualidade da Lista Holandesa.

“O gerenciamento ambiental de uma área contaminada, bem como sua remediação, caso necessário, visam minimizar os riscos a que estão sujeitos a população e o meio ambiente, fazendo-se necessário o entendimento prévio dos processos de acumulação e transporte de contaminantes através do solo e água subterrânea, os quais dependem da natureza do contaminante e do meio em questão”, frisa Thiago Machado, gerente operacional da área de Meio Ambiente.